1622846_364500267023917_1339638327_n

A Presidente da APLB Sindicato de Itiúba, Drª Cicleide Madureira, concedeu entrevista ao Jornal Cidade em Notícias da Rádio Abelha Dourada FM, onde na ocasião falou sobre a polêmica do rateio dos Precatórios.

A Presidente falou sobre o montante de mais de 26 milhões que chegou aos cofres municipais que segundo a advogada esse valor foi referente as perdas devido a conversão do FUNDEF para FUNDEB, dinheiro que devido a uma ação movida pelo próprio sindicato que pedia que o valor fosse destinado exclusivamente para a área de Educação, acabou sendo rateado 60% para os funcionários da educação, valor que chegaria em torno de 15 milhões e meio, porém desse montante foi pago mais de 5 milhões para serviços de advocacia que segundo Drª Cicleide esse valor foi descontado de forma irregular, pois a união proibia que esse tipo de repasse fosse feito, mas a orientação não foi acatada pelo município e os servidores da educação receberam um montante de um pouco mais de 12 milhões apenas.

Ainda segundo Drª Cicleide, outro fator que foi muito obscuro, foram os critérios que o município utilizou para o rateio já que não foram explicados para sociedade através dos meios de comunicação, como por exemplo não se sabe até hoje quanto o servidor teria direito por ano de serviços prestados no período de 1998 a 2006, público para o qual foi rateado 85% dos 12 milhões, sendo que os trabalhadores que começaram a fazer parte do quadro da educação após 2006, tiveram direito a 15% do valor, mas muitas servidores reclamam e se dizem prejudicados, pois receberam valores inferiores o que tinham por direito mesmo sem saberem ao certo quanto receberiam.

Outro assunto polêmico foi o fato dos aposentados e herdeiros terem ficado de fora do rateio, segundo a advogada já esteve em reunião com a Secretária de Educação que disponibilizou extratos das contas bancárias do município que mostram que as mesmas ficaram zeradas no dia 31 de dezembro de 2016 e que a justiça já foi acionada mediante a alegação do ex gestor afirma ter deixado 1 milhão e meio de reais para que esse rateio fosse feito, uma auditória nas contas da Prefeitura esta sendo feita e que mediante o resultado, medidas cabíveis serão tomadas, porém mediante ao impasse a  orientação é que se tomem medidas judiciais, ou seja os aposentados e herdeiros que tem direito ao montante que procure a APLB Sindicato para que a ação judicial seja movida contra o município.

Finalizando a presidente da APLB disse já ter conversado com a Secretária de Educação Joelma Sousa sobre o piso salarial dos professores e que a mesma sinalizou de forma positiva para a categoria, afirmando que o mais breve possível a situação será resolvida e ainda lembrou que a sociedade deve estar presente na composição dos conselhos, pois a fiscalização é fundamental para o interesse da comunidade.