WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
grupo exa

caixa aqui

loteamento jenipapo

ascoob

policlinica

julho 2017
D S T Q Q S S
« jun   ago »
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  
blog antigo

:: 3/jul/2017 . 17:10

Geddel Vieira Lima é preso

geddel-vieira-lima-pmdb-ba-edilson-rodrigues-edilson-rodrigues-agencia-senado

Geddel Vieira Lima, ex-ministro da Secretaria de Governo de Michel Temer, foi preso preventivamente nesta segunda-feira (3). O Ministério Público Federal (MPF) argumenta que ele agiu para atrapalhar investigações, ao tentar barrar possíveis delações premiadas do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e do doleiro Lúcio Funaro.

Segundo o MPF, Geddel tem atuado para garantir que Cunha e Funaro recebam vantagens indevidas e para constranger o doleiro a não fechar o acordo.

Na petição apresentada à Justiça, foram citadas mensagens enviadas recentemente (entre os meses de maio e junho) por Geddel à esposa de Lúcio Funaro. Para provar, tanto a existência desses contatos quanto a afirmação de que a iniciativa partiu do político, Funaro entregou à polícia cópias de diversas telas do aplicativo.

Nas mensagens, o ex-ministro, identificado pelo codinome “carainho”, sonda a mulher do doleiro sobre a disposição dele em se tornar um colaborador do MPF. Para os investigadores, os novos elementos deixam claro que Geddel continua agindo para obstruir a apuração dos crimes e ainda reforçam o perfil de alguém que reitera na prática criminosa.

Ex-ministro Geddel Vieira Lima é preso na Bahia

Geddel é um dos investigados na Operação Cui Bono. Deflagrada no dia 13 de janeiro, a frente investigativa tem o propósito de apurar irregularidades cometidas na vice-presidência de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal, durante o período em que foi comandada pelo político baiano. A investigação teve origem na análise de conversas registradas em um aparelho de telefone celular apreendido na casa do então deputado Eduardo Cunha.

A prisão se baseia em depoimentos de Funaro e nas delações premiadas do empresário Joesley Batista e do diretor jurídico do grupo J&F, Francisco de Assis e Silva.

Leia a íntegra da nota do Ministério Público Federal:

Em cumprimento a uma ordem judicial que atendeu a pedido da Polícia Federal e da Força-Tarefa Greenfield – que também é responsável pelas operações Sépsis e Cui Bono – , foi preso nesta segunda-feira (3), o ex-ministro Geddel Vieira Lima. A prisão é de caráter preventivo e tem como fundamento elementos reunidos a partir de informações fornecidas em depoimentos recentes do doleiro Lúcio Bolonha Funaro, do empresário Joesley Batista e do diretor jurídico do grupo J&F, Francisco de Assis e Silva, sendo os dois últimos, em acordo de colaboração premiada. No pedido enviado à Justiça, os autores afirmaram que o político tem agido para atrapalhar as investigações. O objetivo de Geddel seria evitar que o ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e o próprio Lúcio Funaro firmem acordo de colaboração com o Ministério Público Federal (MPF). Para isso, tem atuado no sentido de assegurar que ambos recebam vantagens indevidas, além de “monitorar” o comportamento do doleiro para constrangê-lo a não fechar o acordo.

Na petição apresentada à Justiça, foram citadas mensagens enviadas recentemente (entre os meses de maio e junho) por Geddel à esposa de Lúcio Funaro. Para provar, tanto a existência desses contatos quanto a afirmação de que a iniciativa partiu do político, Funaro entregou à polícia cópias de diversas telas do aplicativo. Nas mensagens, o ex-ministro, identificado pelo codinome “carainho”, sonda a mulher do doleiro sobre a disposição dele em se tornar um colaborador do MPF. Para os investigadores, os novos elementos deixam claro que Geddel continua agindo para obstruir a apuração dos crimes e ainda reforçam o perfil de alguém que reitera na prática criminosa. Por isso, eles pediram a prisão “ como medida cautelar de proteção da ordem pública e da ordem econômica contra novos crimes em série que possam ser executados pelo investigado”.

Com a prisão de Geddel, passam a ser cinco os presos preventivos no âmbito das investigações da Operação Sépsis Cui Bono. Já estão detidos os ex-presidentes da Câmara, Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves, o doleiro Lúcio Funaro e André Luiz de Souza, todos apontados como integrantes da organização criminosa que agiu dentro da Caixa Econômica Federal (CEF). No caso de Cunha, Alves e Funaro, já existe uma ação penal em andamento. Os três são réus no processo que apurou o pagamento de propina em decorrência da liberação de recursos do FI-FGTS para a construção do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro. Além deles, respondem à ação, Alexandre Margoto e Fábio Cleto.

Mais sobre as investigações

Geddel Vieira Lima é um dos investigados na Operação Cui Bono. Deflagrada no dia 13 de janeiro, a frente investigativa tem o propósito de apurar irregularidades cometidas na vice-presidência de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal, durante o período em que foi comandada pelo político baiano. A investigação teve origem na análise de conversas registradas em um aparelho de telefone celular apreendido na casa do então deputado Eduardo Cunha. O teor das mensagens indicam que Cunha e Geddel atuavam para garantir a liberação de recursos por vários setores da CEF a empresas que, após o recebimento, pagavam vantagens indevidas aos dois e a outros integrantes do esquema, entre eles Fábio Cleto. Cleto, que ocupou por indicação de Eduardo Cunha a vice-presidência de Fundos de Governo e Loterias, foi quem forneceu as primeiras informações aos investigadores. Em meados do ano passado, ele fechou acordo de colaboração premiada com a Procuradoria Geral da República (PGR).

Em conversas datadas de 2012, por exemplo, os envolvidos revelam detalhes de como agiram para viabilizar a liberação de recursos para sete empresas e um partido político. Entre os beneficiados do esquema ilícito aparecem companhias controladas pela holding J&F, cujos acionistas firmaram recentemente acordo com o MPF. O aprofundamento dos indícios descobertos com a análise do conteúdo armazenado no aparelho telefônico apreendido permitiu aos investigadores constatarem intensa e efetiva participação de Geddel Vieira Lima no esquema criminoso. Além da prisão preventiva, a Justiça acatou os pedidos de quebra de sigilos fiscal, postal, bancário e telemático do ex-ministro.

G1

ITIÚBA: HOMEM É ASSASSINADO COM VÁRIOS TIROS A QUEIMA ROUPA

IMG-20170703-WA0016

Aconteceu na manhã desta segunda – feira (03/07/2017),  mais um assassinato no município de Itiúba, desta vez o crime aconteceu na Rua Antônio Pimentel da Silva, conhecida como Rua da Piaba, nas imediações de um bar, logo na entrada do bairro.

Segundo informações a vitima foi um jovem conhecido como Indinho Farias morador da localidade, que foi assassinado com vários tiros a queima roupa.

As primeiras informações sobre o caso apontam que 2 elementos chegaram em uma moto trajando uniformes da Coelba e fingiram estar trabalhando, quando começaram a disparar contra a vitima que estava em frente a um ponto de moto – táxi, o mesmo ainda tentou fugir até sua casa, onde os elementos acabaram de executa-lo.

O Corpo ainda se encontra no local aguardando o IML.

A policia foi acionada, porém até o momento ninguém foi preso.

Visita do governador a Senhor do Bonfim é transferida para terça-feira (4)

Rui-Costa1

A agenda que o governador Rui Costa cumpriria nesta segunda-feira (3) em Senhor do Bonfim foi adiada para terça-feira (4), em virtude do tempo instável que impediu o descolamento de Rui para o município.

Às 10h desta terça, o governador participa de uma série de entregas e autorizações de serviços no município.

O primeiro compromisso é o descerramento da placa de inauguração da pavimentação de rodovia, no trecho entre o entroncamento da BR-407, em Senhor do Bonfim, ao distrito de Quicé. Logo em seguida, Rui segue para o distrito de Quicé, onde acontece a solenidade. No local, Rui assina ordem de serviço para início das obras de iluminação da entrada da cidade, na Avenida João Durval, no trecho da BR-407 que liga o campus da Universidade do Estado da Bahia (Uneb) à Rodoviária.

Durante o evento, Rui ainda assina convênios para construção da primeira etapa do Sistema de Distribuição de Água para dessedentação animal, para aquisição de equipamentos de laticínio para a unidade de resfriamento do distrito de Quicé e para construção de unidades sanitárias residenciais rurais. Na oportunidade, o governador anunciará a contratação de empresa para elaboração de estudos preliminares e projetos básicos e executivos para implantação do Aeródromo na Praça da Igreja, no centro do distrito.

Serão entregues também, durante o evento, uma Unidade de Beneficiamento de Mel e Certificação de Inspeção Estadual da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab) e 15 mil mudas frutíferas e essências florestais para plantio nas propriedades rurais da agricultura familiar do município. O governador ainda autoriza a Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) a celebrar dois convênios no âmbito do Programa Bahia Produtiva na área socioambiental.

Bonfim Notícias

multi beer

ibt internet

abelha dourada

via juridica

silvana morais

aciai



WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia